Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, SANTOS, Homem, de 20 a 25 anos, Portuguese, English



Histórico


Outros sites
 Márcia Atik


 
Devir Humano: Torna te quem tu és!


CURIOSOS DE PLANTÃO!

 

Olá,

A proposta de tema de hoje é a “Curiosidade”. Como podemos definir a curiosidade?  Por que somos curiosos? Até que ponto ela é saudável e quando pode vir a ser prejudicial?

Na minha concepção todo ser humano é curioso, afinal a curiosidade é considerada natural, congênita e até mesmo essencial para evolução do homem. Afinal, ela provoca um estímulo no que se refere à exploração e investigação de novos dados e informações. Vale ressaltar que estas colaboram para a fundamentação de algumas informações e estudos, para o desenvolvimento de novas tecnologias, tendências e teorias.

Embora não percebamos o quão somos curiosos, posso afirmar que a curiosidade está vinculada ao nosso dia-a-dia. Por exemplo, você já parou para pensar em quantas indagações já fez esta semana? Você nunca perguntou “por quê?”, “como?”, “quando?”, ou “onde?”?

Acredito que a curiosidade seja uma virtude do homem desde que esta não o prejudique ou a terceiros. Pois muitas pessoas se tornam fofoqueiras e bisbilhoteiras.

Resumindo, passam a se interessar pela vida alheia, pois não é à toa que muitas pessoas gostam de assistir ao Big Brother Brasil, ler revistas de fofocas e talvez seja este o motivo da ficção novelística prender tanto a atenção das pessoas no Brasil.

Finalizo aqui este tópico dizendo que a curiosidade é fundamental para a evolução, porém devemos tomar cuidado para que ela não se torne antiética em nosso convívio social.

 

Você é sempre bem-vindo!


 

 



Escrito por Rubens Mendrona Filho às 01h30
[] [envie esta mensagem] [ ]



CARETAS?

 

Olá,

 

Hoje irei abordar um tema que é menos filosófico e mais próximo da nossa realidade.

Esta noite sonhei que um amigo tinha me falado que estou me tornando uma pessoa “careta”. Mas o que seria uma pessoa careta? Existem pessoas caretas?

Talvez a pessoa “careta” seja aquela que não segue os novos padrões típicos impostos pela sociedade ou por um determinado grupo social. A sociedade vive em mudança constante e tanto ela quanto a mídia influenciam no comportamento social.

Na maioria das vezes, a pessoa considerada “careta” é aquela moralista, conservadora, tradicional e que, às vezes, tem preconceito contra alguns pensamentos, atitudes e comportamentos de determinados grupos.

Concordo que a questão do “o que é ser careta?” depende do ponto de vista de cada indivíduo. Afinal, nem todos estão inseridos no mesmo núcleo social.

Na minha concepção damos rótulos às pessoas por, na maioria das vezes, nos acharmos corretos (modelo ideal de caráter e moral) e pelo fato de que nós somos seres que gostamos de analisar e julgar os próximos, pois acredito que isto não ocorre de forma intencional e sim inconsciente.

Defendo a idéia de que não há pessoas caretas. Tudo é questão de ponto de vista levando em consideração as crenças e o núcleo social de cada ser humano.

Encerro minhas palavras levantando algumas questões: Qual o problema em não querer seguir os padrões da massa? Será que temos o direito de julgar as pessoas “caretas”? Quem é o dono da verdade?

 

Você é sempre bem-vindo!

 




Escrito por Rubens Mendrona Filho às 15h08
[] [envie esta mensagem] [ ]



SERÁ QUE EXISTE VERDADE ABSOLUTA?

Caros amigos,

 

Após criar este blog tive dificuldade em escolher seu primeiro tema. No entanto, na quarta-feira (15) fui até o Café Filosófico no restaurante La Quiche Dorée e ouvi uma excelente palestra do professor e mestre em Filosofia, Luiz Meirelles, sobre “Karl Popper e a questão do método científico”. Não irei estender aqui este texto e explicar tudo que foi abordado no local, pois minha intenção não é esta. Quero apenas ressaltar uma observação muito importante que me chamou atenção.

Eu sempre disse aos meus pais que a ciência é fato e a religião é crença. Mas descobri que é mentira; afinal ambas são crenças. A ciência realiza estudos aprofundados em diversas áreas e consegue detectar tendências futuras. Por outro lado, se analisarmos de forma coerente ela só poderá encontrar “verdades temporárias”.

Afinal, eu não sei como será o dia de amanhã. Vou dar um exemplo abordado no Café Filosófico: o homem é um ser mortal? Muitos responderiam que sim, mas como você pode provar isso se nem todos os homens da Terra morreram. Pode existir alguém com vida eterna, pois ninguém matou todos os homens e comprovou tal teoria. Assim como amanhã poderá surgir uma nova tecnologia que possibilite ao homem eternizar sua existência.

Partindo desse prisma, podemos concluir que, apesar da ciência ter bons fundamentos, ela só poderá comprovar suas teses até o presente. E para a verdade tornar-se absoluta ela precisa ser válida para todo o sempre.

Portanto, toda teoria é temporária, pois é impossível afirmar que sempre será assim. Como diria Friedrich Nietzsche: “Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas”.

 

Você concorda com a teoria? Por quê?

 

Você é sempre bem-vindo!

 

 

Para curiosos um pouco de Karl Popper

 

Vou falar brevemente sobre dois conceitos propostos por Karl Popper, são eles: verificabilidade e falseabilidade.

Pode-se dizer que ambos os conceitos demarcam enunciados científicos, instrumentos para definir o que é e o que não é ciência. Segundo o conceito da verificabilidade, para que algo seja definido como científico este necessita ser passível de verificação empírica. Por outro lado, a teoria da falseabilidade, de Karl Popper, propõe que algo só poderá ser considerado científico se houver possibilidade de ser refutado pelo mesmo escopo empírico.

Popper acredita que se uma teoria for comprovada para todo o sempre, ou seja, se ela se tornar uma verdade absoluta, esta passaria a ser um dogma, portanto, não haveria mais o porquê de se fazer experimentos sobre ele. Dessa forma, poderíamos dizer que uma teoria é apenas corroborada em probabilidades podendo ser contestada.



Escrito por Rubens Mendrona Filho às 13h47
[] [envie esta mensagem] [ ]



APRESENTAÇÃO

 

Olá,

 

Declaro aos interessados que neste blog serão abordados temas relacionados à ciência humana e tudo aquilo que está conectado a ela.

            Apresentarei temas propícios ao debate e reflexão. Lembrando que todos têm direito de expressar seus pensamentos e idéias, contribuindo para o crescimento intelectual dos internautas; respeitando sempre a opinião alheia. Como este blog é de cunho pessoal, pretendo explorar idéias que, por vezes, são pouco aceitáveis pela formação do nosso ser.

 

Por que devo acessar o “Devir Humano: torna-te quem tu és”

           

            A questão central deste blog é responder a três perguntas complexas: O que somos? Por que somos? E quem poderemos ser?

Se você é uma pessoa que gosta de refletir, ouvir a opinião do próximo, defender suas teses acrescentando conhecimento num debate maduro, aqui é o seu lugar!

            Proponho um crescimento intelectual mútuo no qual todos nós possamos aprender com questionamentos em busca da nossa própria verdade.

 

Você é sempre bem-vindo!

 



Escrito por Rubens Mendrona Filho às 11h22
[] [envie esta mensagem] [ ]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]